sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Querida eu mesma...

Algum tempo se passou desde que conversamos pela ultima vez, Mel. Tanta coisa aconteceu em tão pouco tempo e tem algumas coisas que eu queria lhe parabenizar. 
Sabe aquela auto estima que você não tinha?! Que fazia com que você quisesse ser apenas mais uma das meninas legais da faculdade e não conseguia?! Eu vou te contar o porque disso. 
As pessoas são todas únicas. Não existe uma pessoa 100% igual a você. E você não tem que se sentir inferior a ninguém por isso. Você é legal do seu jeito. Você é uma menina incrível. E tem gente que faz você se lembrar disso todos os dias. Mas, tem algumas coisas que você só aprendeu depois de muita porrada na cara. Eu vou te contar, viu?! Como diz seu melhor amigo, se não tivesse acontecido tudo o que te aconteceu, você não teria aprendido nada disso e não poderia aconselhar ninguém como você faz. Sabe do que eu to falando? Eu to falando de maturidade. 

Mamãe sempre disse que maturidade é quando a gente consegue discernir o que é certo ou errado e não fazer as coisas que são erradas. Hoje, depois do tanto que eu vi o que você mudou, eu te falo. Maturidade é muito mais do que isso. É saber qual é o seu limite. É saber respeitar suas vontades e não machucar ninguém quando as suas vontades dependem também de outra pessoa. 

Aprender isso da forma com que você aprendeu também, eu vou te contar, doeu demais. Um relacionamento abusivo, hoje posso te dizer. E eu vou deixar aqui pra todo mundo que quiser saber. A gente só precisa de uma pessoa pra ser feliz. Essa pessoa é aquela que você vê quando se olha no espelho. A gente não precisa de ninguém pra nos completar. Todos nós somos completos. Pessoas aparecem na nossa vida pra nos transbordar. Não é papo de gente sozinha não, Mel. É papo de gente bem resolvida. E isso, posso te falar com segurança. Hoje você é. De tudo o que o relacionamento ruim te deixou, foram as grandes conquistas. A conquista da liberdade, a conquista do auto conhecimento. E a maturidade.

Mel, hoje eu te falo, gatinha. Você conseguiu muito se livrando do seu passado. 
Eu ainda não sei como falar o que é um relacionamento abusivo e o porque a gente cresce depois que sai disso. Eu sei que a gente vê que se sujeitou a tanta coisa que não era certa, por medo de perder a pessoa que amamos (mas, a gente não perde, porque a pessoa que a gente deve amar primeiro é sempre nós mesmos). A gente vê que a gente não precisa ser capacho de ninguém. 

Continue crescendo, meu bem! Continue nesse caminho lindo que você tá. Tá no caminho certo. 

Beijão 

Eu te amo e morro de orgulho de você! 


sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Look do dia: Conjuntinho preto.

Oi oi meus amores! Tudo bem com vocês?

Hoje eu só passei aqui no bloguinho pra poder deixar pra vocês mais uma inspiração de look pra mais tarde.
Tá calor pra caramba, né gente!? Nada melhor do que sair toda fresquinha por aí. Por isso escolhi esse conjuntinho super levinho, fresquinho e lindo! Comprei na Riachuelo, não lembro quando... Mas confesso que usava pouco. Mas, com o calor que está aqui em BH... Vou usar é todo dia... hahahahaha
Dá uma olhada aí

Eu fiquei vesga nessa foto, mas abstrai isso aí! rsrs 

Sabe quando você vê uma pessoa que não queria? É o motivo da cara na foto. 

Então meus amores, esse é o post de hoje. Espero que tenham gostado! 
Uuuuuuuuuuuuuuuuuuum beijo, fiquem com Deus e até a próxima!